Empresa de Transportes Flores - Mobilidade Fluminense

Ir para o conteúdo

Menu principal:

 

Empresa de Transportes Flores

A Empresa de Transportes Flores  teve sua origem no município de Nilópolis, sua garagem era na Rua João de Castro, no bairro Cabuís. Fundada em 1957, por Luiz de Andrade Flores e Mauro de Almeida Flores, começou sua operação fazendo a linha São João – Caxias (via Matadouro), em novembro de 1959.

Dois anos após a fundação, a garagem foi transferida para o município de São João de Meriti, na Rua Walter Arruda, o que ajudou a alavancar o crescimento da cidade. No início dos anos 1970, a empresa contava com 10 ônibus, operando uma linha. Entre 1971 e 1972, foi adquirida a linha 109 (São João de Meriti – Caxias) e a frota chegou a 36 veículos, operando linhas entre São João de Meriti e Duque de Caxias.

Em 1975, José Alves Lavouras assume a empresa, junto com o irmão Armando Lavouras. A partir de então novas linhas e empresas foram sendo adquiridas e integrando o que mais tarde passou a se chamar Grupo JAL.
> Em junho de 1978, foi incorporada ao Grupo JAL a Transportes Planalto.
> Em 1979, foi a vez da Auto Lotação Unidos. Com elas, vieram, naturalmente, as linhas que operavam. No caso da Lotação Unidos, o interesse era mais no terreno onde ficava a garagem, pois ali José Lavouras construiria a nova sede da Flores e iniciaria a escalada para transformar a Flores numa das maiores empresas de transporte urbano do Estado do Rio de Janeiro.

Em 1982, foi criado um jornal para os colaboradores, inaugurado o campo de futebol e implantados o departamento de Recursos Humanos e departamento Médico, bem como benefícios que facilitavam a vida dos colaboradores. Em 1983, a empresa já contava com 122 veículos, que ganharam novo visual, e 610 colaboradores. Sua sede possuía 56 mil m2.
Em 1984, se junta ao Grupo JAL a empresa Rio D’Ouro e, em 1986, são adquiridas as empresas Auto Viação Vera Cruz, Transquinze Transportes e Transportes Sol. Com isto, novas linhas foram incorporadas. Também em 86, os ônibus ganham outra vez nova pintura, em diversos tons de verde.

As linhas da Flores em Nilópolis eram operadas pela Aparecida.
A sua atuação em Nilópolis, apesar de ter sido fundada no município, só foi possível após a aquisição de linhas operadas pela empresa Transportes Nossa Senhora Aparecida. As atuais 103I (Nilópolis x Shopping Grande Rio), 104I (Nilópolis x Pavuna) e 433I (Nilópolis x Pavuna) passaram a ser operadas pela Flores no ano de 1990 e com isso a empresa que teve sua origem no bairro Cabuís voltou a se fazer presente em Nilópolis, atendendo aos bairros de Olinda, Nova Cidade, Paiol e Cabuís, além do Centro, de onde partem suas linhas.

A empresa é vencedora de inúmeros prêmios. Destacam-se os prêmios Daniel Barata de Gestão pela Qualidade nos Transportes, sendo a Flores, primeira empresa a vencer na categoria Urbano Metropolitano, isso em 1996.

Em 1998, a Revista Transporte Moderno elege a Flores a segunda melhor empresa do setor metropolitano de passageiros do País e a melhor do Estado do Rio. Em fevereiro de 1999, a empresa recebe outro prêmio, de destaque do ano, da Associação Comercial de São João de Meriti. Também em 99, vence o Prêmio Nacional de Conservação e Uso Racional de Combustível, na categoria Transporte Rodoviário, pelos índices de economia e gestão ambiental alcançados em 1997 e 1998. Foi a primeira vez que uma empresa de transporte de passageiros ganhou o prêmio, promovido pelo Ministério das Minas e Energia, Petrobras e CNT. Para fechar as premiações do ano, em dezembro, a Flores recebe o Prêmio Harold Nielsen, sendo eleita a melhor empresa do país na modalidade transporte metropolitano de passageiros, pela Revista Transporte Moderno com a orientação da Fundação Vanzolini de São Paulo.

A sede está localizada na Avenida Automóvel Clube, 990, no município de São João de Meriti. A garagem ocupa um terreno de 56 mil m². No terreno além de toda a parte operacional de uma empresa de ônibus, a Flores se preocupa com o bem estar dos colaboradores e lá se encontram restaurante industrial com capacidade para mais de 1.000 refeições/dia, padaria própria para confecção de pães e bolos, área de lazer, constituída de quiosques e academia corporativa. Preocupada com o meio ambiente, a Flores possui uma estação de reciclagem de água com capacidade de tratar 300.000 litros/dia, permitindo que a empresa lave seus ônibus, exclusivamente, com água de reúso, sem contar com a área de reciclagem de materiais sólidos, evitando que os materiais sejam dispensados no meio-ambiente.

A década de 90 para a Flores foi tempo de renovação. Mesmo com a perda do líder José Alves Lavouras, diretoria e colaboradores renovaram forças para seguir em frente, se antecipando às tendências, certos de que era exatamente isso que faria aquele que foi um grande exemplo de administrador. Ainda nesse momento houve a adoção de práticas e padrões de trabalho com foco na gestão da qualidade.

Nos anos 2000, a Flores se destacou em diversos processos de premiações que avaliaram a evolução do seu sistema de gestão. A partir de 2005 foi definido como estratégia estar entre as melhores empresas para se trabalhar e esta visão de futuro foi renovada em 2011. Passou-se a investir maciçamente em ações que proporcionam aos colaboradores o melhor ambiente de trabalho.

O ano de 2013 ficou marcado pela inauguração da Academia JAL e do novo Centro Médico, porém o marco principal desta década foi a obtenção da certificação do Sistema de Gestão Integrado, constituído pelas normas ISO 9001 – Sistema de Gestão da Qualidade, ISO 14001 – Sistema de Gestão do Meio Ambiente e OHSAS 18001 – Sistema de Gestão da Saúde e Segurança do Trabalho, que vem sendo renovada anualmente.

A Flores tem como estratégia, aperfeiçoar suas práticas de gestão, treinar e aprimorar seus profissionais, com foco nos resultados, de modo que possa ultrapassar toda e qualquer dificuldade de maneira segura e eficaz. Isso é fruto de uma gestão apoiada por seus colaboradores e com foco na excelência do negócio.

É uma das empresas integrantes do Grupo José Alves Lavouras (JAL), que administra outras viações como Rio d'Ouro, Beira Mar, Mageli, Planalto, Real Rio, Brazinha e Turismo Três Amigos. Também administra um subgrupo que é composto pelas empresas Viação Ponte Coberta, Glória e Gardel Turismo, o Grupo Ponte Coberta


Grupo Municipal/América

O Grupo empresarial que antecedeu o todo poderoso JAL em São João de Meriti. Trata-se da Empresa de Transportes Municipal.

RJ 130 -Transportes Municipal/ RJ 208- Transportes América

Nas décadas de 60 e 70 ela fazia linhas municipais em São João, e intermunicipais ligando São João, Vale do Ipê (bairro do distrito de Belford Roxo, à época pertencente a Nova Iguaçu, hoje emancipado), Pavuna e o centro do Rio.
Aos poucos foi comprada pela Flores. Empresas como Planalto e Rio Douro, que faziam linhas dentro de São João e BR, também pertenciam ao grupo América.
A última empresa do grupo que a Flores comprou foi a Trans 15 em 1986.

Segue a trajetória de algumas linhas já operadas pelo grupo:

110: Municipal-Planalto(ainda do mesmo grupo América)-Planalto(como Jal)-Flores
115/116/136: Municipal > Natividade > SOL > Tinguá (inclusive mantendo frota e pintura da América) > Imperador > Flores
417: Vilar dos Teles X Central: Municipal > América > CTC > desativada por um tempo-Reginas
416/418C: Municipal > América > Reginas
722/724: Municipal > América-Trans 15 (as 3 do mesmo Grupo) > Flores
728: América > Municipal > Vera Cruz RJ 112 (esticada para Nova Aurora)

A Tinguá é a unica que guarda as cores do grupo Municipal até hoje. Se não fosse a padronização, a América também teria.
Atualmente a América faz apenas linhas municipais no Rio de Janeiro e pertence ao Grupo Rubanil/América.

A partir dos anos 70, a empresa, pertencente à família Thurler, dividiu-se em várias outras empresas.
Antiga sede da Unidos, hoje abriga uma empresa de logística e transporte de resíduos. Situa-se na Automóvel Clube, 3276.
A atual fábrica de gelo Monte Claro, sediava a Planalto, junto com outras empresas.
A antiga garagem da Transportes América, na Automóvel Clube, onde hoje situa-se o centro comercial do Vilar dos Teles.
Antiga garagem da Aliança atualmente um aviário, na Rua Cabo Frio:

A Rio Douro Transportes Coletivos, que pertencia a Edésio Thurler  fazia linhas municipais em São João de Meriti e Belford Roxo (à época distrito de Nova Iguaçu). Em 1979 a empresa recebe a garagem da Municipal, que estava falindo aos poucos. No mesmo ano, acaba-se a Municipal.

A Planalto terminou em 1978. Esta última operava as linhas: 110I (São João x Caxias via Jardim Metrópole), 438I (Jardim Botânico x Caxias) e Jardim Noia x São João (atual 201).
.. No final do ano de 79 a Flores batizou o nome Planalto na linha São João x Jardim Nóia com a pintura do grupo JAL com 3 carros na linha, sendo todos Caio Amélia, com os seguintes números 4,8 e 9. Anos mais tarde foram alterados para os números 32, 33 e 43 até quando da mudança da linha para o Shopping Grande Rio, onde foi aumentada a sua frota.
Hoje a Planalto possui apenas uma única linha da época do grupo Municipal: a renumerada 201 (Jardim Nóia x Shopping Grande Rio).

As linhas para a Central, a Municipal passou para a Transp. América quando do seu fechamento em 79. O detalhe é que a linha ficou de 83 até 85 sem ser operada, ela abandonou a linha por problemas com a frota da linha, isso ocorreu em meados de 1983, portanto a Reginas recebeu do Detro em Dezembro de 85 para a operação da tal linha.
Hoje, as linhas 417C Vilar dos Teles x Central e 427C Vilar dos Teles x Praça XV Candelária estão nas mãos da Reginas.

E ainda existiam outras empresas com ligações com o grupo América:
> Aliança (tinha alguns Caio Padron Amélia, e foi comprada pela Oriental):
Cascadura x Vila Norma (via Vila Rosali) -- linha extinta
Cascadura x Vila Norma (via Vila Tiradentes)
Cascadura x Jardim Botânico (via Pça. da Bandeira)
obs:a Aliança operou durante pouco tempo a linha São João x Lote 15, logo após o fechamento da Planalto

> Unidos (também foi comprada pela Oriental):
Cascadura X São Mateus
Cascadura x Vila dos Teles
Cascadura x Parque Araruama
Cascadura x Jardim Redentor
Cascadura x Jardim Novo Rio
Cascadura x São João de  Meriti

> Oriental (comprada pela AV Vera Cruz):
Méier x Parque São Vicente
Méier x Belford Roxo
Cascadura x Belford Roxo

> Trans 15 (Recebeu algumas linhas herdadas da América após ela ter se transferido para a capital.):
Pavuna x Lote 15 - atualmente Pavuna x Vale do Ipê
Pavuna x Calundú - atualmente Pavuna x Sta.Tereza
Pavuna X Jardim Redentor- foi prolongada ainda no tempo da América para a localidade chamada Estrada do Calundú, e posteriormente prolongada, já pela Flores até o bairro Santa Teresa;
Pavuna X Bom Pastor
Pavuna X Santa Marta ( atualmente Pavuna X Sargento Roncalle)
Todas as linhas acima relacionadas são operadas atualmente pela Transportes Flores.

> Unidos e Aliança foram compradas pela Oriental, que depois foi comprada pela Vera Cruz e posteriormente a Flores veio e comprou a Vera Cruz. Esta última pegou as linhas das empresas adiquiridas.
Nessa época a Flores adquiriu mais de cem Ciferal Padron Alvorada`86 que renovaram não só a sua frota como também da Vera Cruz, recém adquirida. Depois ela adquiriu a Imperador, a Aparecida (1989) e a Real Rio, no início dos anos 90...

> Nossa Senhora Aparecida
São João de Meriti x Nilópolis (via Portugal Pequeno)
São João de Meriti x Nilópolis (via Éden)
São João de Meriti x Nilópolis (via Tomazinho)
São João de Meriti x Bacia (linha municipal em São João de Meriti, que foi ganha em troca da linha São João de Meriti x J. Nahahy, pertencente à Santa Terezinha.
A primeira linha foi estendida ao Shopping Grande Rio, já as duas últimas, vão até a Pavuna


O DETRO-RJ determinou no último dia 13 de janeiro que cinco linhas da Expresso Mangaratiba fossem impedidas de serem operadas pela empresa.

A Transportes Flores assumiu no dia 21 a linha 451T – Duque de Caxias x Campo Grande via Eden

As demais linhas estão sendo operadas pela Viação Reginas.

Comentários


 
Sem comentários
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal