Translitorânea Transturística - Mobilidade Fluminense

Ir para o conteúdo

Menu principal:

 

Translitorânea Turística


Conforme licitação realizada pela Prefeitura do Rio em 2010, muitas empresas não puderam entrar devido à má operação do sistema que elevou o número de reclamações e processos, inclusive trabalhistas. Com isso algumas empresas se fundiram formando uma com novo nome e inscrição "limpa", outras fizeram o mesmo, porém independentes. Esse foi o caso da Translitorânea.

Criada no final de 2010, com a licitação das linhas de ônibus da cidade do Rio de Janeiro e da dissolução da Amigos Unidos, a Translitorãnea começou mostrando serviço e mandando embora toda a "velharada" da antiga empresa e trazendo veículos usados em melhor estado para servir melhor de forma provisória enquanto a frota nova não chegava.

Como foi criada na licitação, a Translitorãnea provisóriamente adotou uma "Pintura" descaracterizada da Amigos Unidos. Enquanto a frota 0Km não chegava, a Translitorânea adquiriu veículos usados.

Poucos foram os veiculos aproveitados da Amigos Unidos. Os Mascarello Gran Via que a antecessora comprou em 2009, continuaram por mais algum tempo na frota da Translitorânea.
Os Gran Midis III. A primeira aquisição de veículos 0Km da Translitorânea. Em 2012, esses veículos foram repassados para a Rio Rotas.

A Translitorânea operou a linha de integração do metrô 590, antiga 591A da Amigos Unidos. A linha ligava o Leme até a estação Cardeal Arco Verde do metrô. A linha foi desativada em 2012 por baixa demanda, e os micros que operavam ela foram vendidos.
2011 chegou com tudo na Translitorânea. Uma ousada mega renovação com mais de 90 veículos Neobus Mega BRS Scania de piso baixo. As primeiras unidades começaram operando em linhas reativadas, como a 521 e 522. A inovação foi tanta, que muitas pessoas passaram a andar nessas linhas só pela curiosidade em andar num ônibus tão diferente e inovador.

Como a rocinha é um lugar de ruas bem íngremes e estreitas, a operação dos pisos baixos era inviável. Para renovar as linhas do setor Rocinha, a Translitorânea comprou Neobus Spectrum City curto com chassi pesado. Volkswagen 17-230 EOD. Mais potência para encarar grandes subidas.

Em 2013, os problemas surgem. Com a regulamentação das vans na Rocinha, a Translitorãnea não conseguiu reforçar a frota nas linhas desse setor. Com isso, ela perdeu as linhas daquela região, que foram repassadas para outras empresas. Ela se desfaz dos carros do setor rocinha e se torna a primeira empresa com frota 100% piso baixo no Rio.

Várias dívidas oriundas da Amigos Unidos e processos trabalhistas criaram uma bola de dívidas. No dia 19/12/2013 as portas da garagem amanhecem fechadas. Os funcionários entram em greve e as atividades da empresa são reduzidas quase a zero, com apenas dois carros operando a 308. Linha essa, que recebeu reforço de outras empresas do consórcio transcarioca. Uma empresa que inovou, mas que não conseguiu se livrar do fardo pesado de sua antecessora.

A Translitorânea Turística operou as linhas:

158 Central x Gávea
169 Praça Mauá x São Conrado Via Linha Amarela - Antiga 177 L. Amarela
176 Central x São Conrado BRS 1
186 Central x São Conrado Rápido - Via Túnel Santa Bárbara
308 Central x Alvorada Via Orla - Antiga 175 BRS 3
314 Central x Recreio Via Orla - Antiga 175 BRS 3
315 Central x Alvorada Via Linha Amarela Antiga 175 L. Amarela
501 Gávea x Alvorada Via Av. das Américas
502 Gávea x Recreio Via Orla
521 São Conrado x Metrô Botafogo Via Copacabana BRS 2
522 São Conrado x Metrô Botafogo Via Jóquei
523 Leme x Alvorada (circular)
24 Botafogo x Alvorada (circular)
46 Leblon x Rocinha (circular)
590 Arcoverde x Leme - Antiga 591A BRS 2 (metrô Superfície)
591 São Conrado x Leme (circular) BRS 2
592 Leme x Gávea Via Humaitá - circular BRS 2
593 Leme x Gávea Via Copacabana - circular BRS 2

Devido a complicações financeiras resultantes de má administração e dívidas da Amigos Unidos, a Translitorânea Turística deixou de operar suas linhas. Em 2013 a empresa já havia perdido as concessões das linhas do setor Rocinha. Com isso, o maior Pool da história foi realizado, envolvendo as empresas: Alpha, Braso Lisboa, Caprichosa, Estrela, Estrela Azul, Gire, Litoral Rio, N.S. Graças, Novacap, Pégaso, Real, Redentor, Santa Maria, São Silvestre, Tijuca, Transurb, Três Amigos e Vila Isabel.

Pool das linhas da Translitorânea:

158: Transurb, Alpha, Vila Isabel e Estrela Azul
169: Real e N.S. Graças
186: São Silvestre
308: Redentor, Litoral Rio, Santa Maria, Estrela, Caprichosa, Três Amigos, Novacap, Estrela, Tijuca e Pégaso.
314: Redentor
315: Litoral Rio, Santa Maria, Caprichosa, Três Amigos e Pégaso.
523: Braso Lisboa
524: N.S. Graças, Gire, Real e Tijuca

Em fevereiro de 2014, a Translitorãnea voltou a atividade deixando de operar as linhas do consórcio intersul e passou a focar no consórcio Transcarioca, operando as linhas 308, 315, 501 e 502.

A Translitorânea Turística encerrou oficialmente as atividades em 10 de abril de 2015. A empresa deixou de operar as quatro últimas linhas que restavam com ela, que são:

314 Central x Recreio via Copacabana BRS3
315 Central x Recreio via Linha Amarela
501 Barra x Gávea
502 Recreio x Gávea
Essas linhas foram assumidas por outras empresas do consórcio Transcarioca.



Fonte:
SMTU
Jornal o Dia

Fotos:
Cia de Ônibus

Comentários

 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal