Transportes Presmic - Mobilidade Fluminense

Ir para o conteúdo

Menu principal:

 

Transportes Presmic

Na manhã do dia 25 de março de 1975, um veículo da Transportes Presmic, empresa que operava a linha “Boa Esperança x Praça Mauá” mergulhou no rio Acari depois de perder o controle sobre si mesmo, capotar e quebrar a mureta de segurança, causando a morte de 28 pessoas. Em 1977, um acidente parecido ocorreu no mesmo local com um ônibus da Turismo São José, matando quinze passageiros.

As cores da empresa na memória e na arte de Armando Reis.
A Presmic operava as linhas que ligavam o Centro da cidade as localidades iguaçuanas próximas a Miguel Couto e entre eles o bairro de Boa Esperança desde a década de 50. A empresa tinha um histórico de incidentes e acidentes dignos de aparecer nas capas de jornal antes do registrado em 1975.
No dia 31 de dezembro de 1973, um outro veículo da empresa era protagonista de outro acidente. Os vinte e um passageiros sairam feridos depois do coletivo ser rebocado por um trem de minério com duas locomotivas e sessenta e cinco vagões numa passagem de nível na Avenida Brasil, no bairro de Manguinhos.

Na época em que a empresa – que já foi vítima de um assalto a sua garagem em 1969 – amargava esse trágico acontecimento, a Presmic já estava sendo incorporada por uma outra empresa de Nova Iguaçu. Esta operava algumas linhas municipais, em especial a Nova Iguaçu x Tinguá, e duas linhas intermunicipais. Esta se chamava Tinguá.
Se vocês já acham impensável sinais na Avenida Brasil, imaginem uma passagem de nível em 1973, quando a avenida já possuía tráfego intenso:
Ela ficava no Caju e foi substituída em 1974 pelo viaduto da Linha Japeri - Arará.

Comentários


 
Sem comentários
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal