Transurb - Mobilidade Fluminense

Ir para o conteúdo

Menu principal:

 

A Transurb - Transportes Urbanos

A empresa se originou de uma cisão da Verdun, adquirida pelo grupo Guanabara em 1996. No mesmo período, surgiu a Saens Peña.  A nova empresa chamou atenção por sua pintura, copiada da dupla Jabour/Penha mas com as cores invertidas. O layout, que guarda alguma semelhança com a Normandy, deixava explícita a identidade do grupo Guanabara. A nova pintura, estreada em 2002, também segue tal filosofia.

Nos arranjos para a criação das novas empresas, a Transurb ficou com a área de operação mais extensa. Inicialmente eram três setores geograficamente distintos, totalizando 111 veículos:

> Setor Centro/Santa Teresa - 206, 214, C10 (dividido com a Amigos Unidos)
> Setor Tijuca x Zona Sul - 410 (Rio Comprido, Passeio, Botafogo, Humaitá), 422 (Andaraí, Presidente Vargas, Catete, Larajeiras)
> Setor Seletivo - 503 (Rio Orla), 504/505 (Lagoa Orla).

De 96 a 99 a Transurb se manteve estável, sem grandes modificações em suas linhas. O primeiro grande salto surgiu em novembro de 99, com o repasse da 691. A transição foi obscura - pouca gente se lembra dos antigos GLS e Torino GV que a Verdun repassou para a Transurb, pois foram substituídos em poucos meses - mas representou uma nova fase para a empresa. Posteriormente as linhas seletivas acabaram ou foram devolvidas, deixando a companhia sem operação na Zona Sul litorânea. Após a padronização imposta pelo poder público municipal em 2010, deixou suas cores originais e passou a adotar a pintura do Consórcio Intersul.

A Transurb teve outro salto entre 2004 e 2005, quando assumiu por completo as linhas C10, 206 e 691, recebendo de presente a 407 (Largo do Machado x Silvestre). Embora tenha sido um bom negócio, a empresa não tinha frota suficiente para pegar todas as operações sem desfalcar as outras linhas. Como resultado, os passageiros de locais como Santa Teresa e Méier sofreram com operações irregulares e ônibus mal-conservados. Posteriormente a concessão da 422A foi suspensa ou rescindida, sob a alegação de operação abaixo das expectativas. Desde agosto de 2011, seus ônibus passaram a ser o principal meio de transporte em Santa Teresa, com a suspensão dos serviços dos tradicionais bondes, que foram retirados de circulação após um grave acidente, onde um deles tombou deixando 6 mortos e mais de 50 feridos.

A melhora demorou a acontecer, mas já era possível ver a Transurb com frota melhor em 2007. Embora o uso de micrões tenha desandado a 691, as outras linhas passaram a rodar com veículos mais adequados à demanda. Merece destaque o setor de Santa Teresa, quase todo operado por micros novos (Thunder+ II 915).

Como curiosidade, a Transurb operava o serviço da UFRJ, mais tarde passado pra Normandy. Havia GLS ex-Saens Peña e Nossa Senhora da Penha.  A empresa já operou também a linha C3 Central x Carioca em pool com São Silvestre, era uma linha de integração Trem Ônibus e a 422A Largo do Machado x Cosme Velho (hoje operada pela São Silvestre com o número 580 Largo do Machado x Cosme Velho.

A Transurb, em seu início, renumerava os ônibus da Verdun. Um dos primeiros a aparecer completamente repintado foi o 72101, Torino GV 96 da 422.  No primeiro semestre de 1997 a empresa adquiriu Senior GV para vários serviços: Rio Orla (067, 068), Lagoa Orla (048, 085?), Santa Teresa (036, 066, 076, entre outros).

Em março de 1997 chegaram os dois GLS 97 1620, 72054 e 098. Os dois foram efetivados na 410, à época Saens Peña x Leblon. Para a Silvestre x Castelo, alguns Torino GV micrões foram adquiridos em 1998. Parte substituía GLS 94, parte era aumento de frota. Nos idos de 1999 era possível vê-los fazendo a 410 de manhã cedo.

No segundo semestre de 1999 a Transurb recebeu alguns Cidade II da Montes Brancos-Salineira, objetivando testar o serviço refrigerado na 422. Alguns carros eram 72026, 028 e 087. Os Cidade também passaram pela Estrela. Nos últimos meses de 2001, chegaram 14 Urbanuss 1721 na empresa. Inicialmente divididos entre a 410 e a 422, todos foram para a 422, depois para a 691, alguns voltando para a 422, indo de novo para a 691 e terminando sua curta vida - 2 anos - na C10.

Em 1999 a Transurb assume a 691, recebendo 18 GLS 95 (72151 a 168) mantidos pela Litoral. A Verdun repassou alguns GLS/GV 95 e GV 96 - 72055, 117, 118, 120 e 123, entre outros. A Transurb adquiriu 5 Senior G6 com ar, que estrearam em agosto de 2002. Alguns foram para a 503, enquanto outros fizeram testes na 410 e na 422. Em alguns finais de semana de 2005, a Transurb testou micros na 691. Por acontecer ocasionalmente, era um fato de difícil visualização.

A gaúcha Neobus ganhou considerável espaço na empresa, fornecendo micros, ônibus de médio porte e ônibus normais. Além de Neobus e Caio, a Transurb também investiu em Marcopolo. Coincidentemente, alguns dos Viale 2007 - 72038, 72118, 72119 - eram Viale 2000, operavam nas linhas 422 e 691.

Linhas:

006  Silvestre x Castelo
007  Silvestre x Central
010  Fátima x Central
011  Rodoviária x Castelo
014  Paula Matos x Castelo
105  Troncal 5 - Alto Gávea x Central Via Botafogo
117  Troncal 7 - Central x Cosme Velho Via Túnel Santa Bárbara
118  Troncal 8 - Cosme Velho x Rodoviária Via Praça Mauá
410  Saens Pena x Gávea Via Túnel Santa Bárbara
422  Grajaú x Cosme Velho
507  Largo do Machado x Silvestre
691  Meier x Cidade de Deus Via Taquara/Linha Amarela
693  Meier X Alvorada Via Linha Amarela

Fonte: Rio Ônibus

Comentários


 
Sem comentários
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal